19 Novembro, 2019

Alto índice de roubos faz com que seguro se torne indispensável no país

Furtos em não há a presença da vítima somam mais 1,139 milhão

Dados do Sinesp (Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública), órgão atrelado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, divulga dados alarmantes sobre roubos de veículos no Brasil: 1 milhão de casos nos últimos quatro anos.

Entre roubos e furtos, são aproximadamente 2 milhões de ocorrências no país, desde 2015. Com um número tão expressante, é inimaginável adquirir um veículo sem proteção.

Mesmo com este cenário, os brasileiros arriscam. Apenas 30% opta por fazer um seguro de seu carro, segundo a Confederação Nacional das empresas de Seguros Gerais (CNseg). Um dos principais motivos é o valor pago, dependendo do ano e modelo do veículo.

No entanto, não ter seguro pode sair bem mais caro que o valor anual à seguradora. Isso porque, no caso de furto, a pessoa perde todo seu dinheiro investido. Já com essa cobertura, o reembolso feito ao proprietário é baseado na tabela Fipe.

O que interfere no preço do seguro?

Para a especialista em seguros, Jeniffer Elaina, o importante é saber dosar o que precisa nesse tipo de serviço. “Não faz sentido contratar um que oferece 15 dias de carro reserva se você possui dois veículos na garagem e pode facilmente ficar somente com um, caso algum dia precise. Mas, lógico, tudo depende do que o motorista utiliza ou não e para isso somente

Imagem: Getty Images

Publicado às 8h51

Receba notícias pelo celular clicando em www.circuitodenoticias.com.br/whatsapp e nos dê um oi para o cadastro