Prefeitura inicia projeto para coleta seletiva de lixo

Uma reunião realizada na quinta-feira, dia 7, pela Secretaria de Meio Ambiente definiu a formação de um comitê e das ações preparatórias para o início da coleta seletiva em Águas de Lindoia. O encontro aconteceu no Posto Avançado de Serviços (PAS) das Casas Populares, onde o projeto piloto será realizado. A coleta começará a ser realizada no dia 25 de junho. O planejamento da secretaria prevê três meses de coleta no bairro para avaliação dos resultados e futura expansão para outros bairros.

O comitê será composto por servidores públicos da Secretaria de Meio Ambiente, agentes de saúde, diretores e vice-diretores de escolas, membros do Projeto Guri além de lideranças comunitárias e religiosas do bairro. O comitê irá acompanhar as ações, apoiar a divulgação e auxiliar no acompanhamento do projeto.

Até o início da coleta várias ações estão programadas. Na próxima semana a Gaia Social – instituição sem fins lucrativos que assessora a prefeitura no projeto – vai promover uma ação para sensibilizar e envolver os alunos das escolas e creches do bairro. Eles serão convidados a participar do mutirão de divulgação que irá distribuir o material informativo aos moradores do bairro no dia 23.

“Escolhemos as Casas Populares para iniciar a coleta seletiva devido a ser um dos maiores bairros do município. Durante os próximos meses vamos realizar a coleta e verificar os principais ajustes que precisaremos fazer antes de levar a coleta até outros bairros da cidade. Nosso objetivo é ir integrando todos os bairros do município no projeto de coleta seletiva”, afirmou o secretário José Mauro Alveranga.

Diagnóstico

No mês passado a Secretaria de Meio Ambiente e a ONG Gaia Social apresentaram um relatório sobre a situação dos resíduos sólidos em Águas de Lindoia. Segundo o documento, Águas de Lindoia produz em média 450 toneladas de lixo por mês. Ao menos 40% deste volume tem condições de ser reciclado, gerando até 50 empregos diretos e indiretos no município, além de melhorar a qualidade de vida da população.

Atualmente, Águas de Lindoia tem uma das maiores médias de geração de resíduos per capita da região, com 0,8kg/dia por habitante, perdendo apenas para Itapira (0,81) e Socorro (0,81). Isso equivale a uma média mensal de 459 toneladas a um custo estimado de R$ 79 mil todos os meses. Do total de resíduos produzidos, cerca de 40% são recicláveis e outros 40% são resíduos orgânicos que podem ser aproveitados.

Com informações de Luis Augusto Tucci

Publicado às 11h25