Criatividade não é dom

A boa notícia é que uma das características mais procuradas no profissional nos dias de hoje não é um dom, tampouco um talento natural. Ou seja, todos nós podemos ir em busca dessa habilidade tão importante.

Um estudo da IBM, divulgado em 2010, identificou a criatividade como a qualidade mais importante que líderes de mais de trinta setores diferentes devem ter para superar os desafios, e ter sucesso num mundo complexo e cheio de incertezas. 

Nos últimos anos, países europeus, além de China e Japão, sofreram alterações profundas no currículo escolar e no modelo de ensino, para que pudessem incluir atividades que incentivam e exploram a criatividade nos alunos, e, depois disso, criaram ferramentas que possibilitam medir o progresso da criatividade em crianças e jovens estudantes. Ou seja, a criatividade é um bem imaterial, mas que pode ser adquirido, construído e medido. 

Segundo o psicólogo norte-americano J. P. Guilford, em seu livro Inteligência, Criatividade e Suas Implicações Educacionais, criatividade é um acúmulo de conhecimentos diversos, como pensamento científico, empreendedorismo, design thinking e matemática, que vão se somando um após outro, e formando no indivíduo um repertório que permite a ele alcançar novas ideias, pensamentos divergentes, flexibilidade e originalidade.

Estudo, muita dedicação e experimentação podem te ajudar a aumentar seu repertório de conhecimentos, e desenvolver a criatividade em você. Um requisito cada vez mais valorizado pelo mercado.

Ibrahim Gustavo é jornalista, escritor e educador, Pós-graduado em MKT e MBA em Comunicação e Mídia

Publicado às 12h35

Receba notícias pelo celular clicando em www.circuitodenoticias.com.br/whatsapp e nos dê um oi para o cadastro